Nota do ENEM é calculada pela Teoria de Resposta ao Item

Teoria da Resposta ao ItemNúmero de acertos não é simplesmente o somatório do número de questões corretas; nível de dificuldade e coerência das respostas afetam a pontuação final.

Técnicos do Inep (órgão do MEC responsável pelo Enem) trabalham há cerca de quatro meses na construção de uma calculadora digital, em que o candidato poderá estimar sua pontuação na parte objetiva da prova. Para evitar discrepâncias entre o resultado previsto na calculadora e o resultado real do candidato, os últimos ajustes técnicos estão sendo efetuados e a ferramenta pode ser disponibilizada ainda este ano.

Hoje, a nota final na prova objetiva não é só a somatória dos acertos. Ela inclui fatores como grau de dificuldade dos itens corretos e coerência do desempenho do candidato.
Assim, se um aluno acerta questões difíceis, mas não tem bom desempenho nas questões fáceis da mesma área de conhecimento, há indício de que houve “chute” e a pontuação final é afetada.

Esse modelo torna difícil a tarefa do estudante de projetar a nota quando o gabarito é divulgado, poucos dias depois do exame. Com a nova ferramenta, o candidato informará quais questões acertou e o cálculo será feito de forma automática.

O modelo atual, chamado de TRI (Teoria de Resposta o Item), foi adotada em 2009, ano em que o MEC desenvolveu o Sisu, sistema que utiliza apenas a nota do Enem para o ingresso em instituições de ensino superior em todo o país.

No final de 2011, 42 das 59 universidades federais do país adotaram o sistema, conforme demonstra reportagem da Folha de S. Paulo.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Autor Thiago Rodrigo Alves Carneiro

Thiago Rodrigo Alves Carneiro, 36, é paulistano do Campo Belo, sócio-proprietário de A vida é feita de Desconto e professor graduado em Matemática e Estatística no IME-USP.

Mais posts por Thiago Rodrigo Alves Carneiro

Deixe um comentário