Registrar bons momentos meus, da minha família e dos meus amigos e conhecidos sempre foi um dos meus sonhos. Olhar para tudo isso um dia e poder reviver parte da história que vivi é algo gratificante.

No entanto, lá pelo final dos anos 90 esse sonho sempre esbarrava nos altos preços das câmeras digitais e até na falta de qualidade delas. A possibilidade de documentar bons momentos e as exigências do trabalho de criação web e cobertura de eventos no IME-USP criaram um contexto tão motivador para tal investimento que as economias foram finalmente utilizadas no final de 2002.

2001. Sony Cyber-shot P92

Em 18 de dezembro de 2001 (uma quarta-feira), estava na Avenida Paulista (mais exatamente, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional) para comprar um presente ao seu amigo Cléber Figueiredo que iria se despedir do CCE no dia seguinte. Então, me lembrei da dica de um amigo na USP sobre o finado Promocenter da Rua Augusta, cujos preços eram “tentadores”: para lá eu fui e comprei uma Sony Cybershot P71 (3.2 megapixels) por R$ 1.450 e nota fiscal.

2003. Sony Cyber-shot P92

A paixão pela fotografia digital foi tanta que no final de junho de 2003 eu troquei a Cybershot P71 por uma Sony Cybershot P92 (5.0 mepapixels, zoom óptico de 3x e smart zoom – zoom digital sem distorções e granulados – de até 12x, foto até 2592 x 1944 e vídeo com áudio em 640 x 480) equipada com um MemoryStick de 128MB pagando uma pequena diferença na mesma loja onde eu comprei as outras câmeras.

2005. Sony Cyber-shot P200

sony_cybershot_p200Em agosto de 2005 a minha Sony Cybershot P92 teve problemas no CCD e, como o conserto ficaria caro, não valeria mais a pena arrumar. Desta forma, em setembro de 2005, aproveitando uma época de preços baixos, comprei a Sony Cybershot P200 (7.2 megapixels e lente Carl Zeiss) novamente na Promocenter da Rua Augusta, pagando R$ 900 com nota fiscal. E, em julho de 2006, comprei um Memory Stick Duo com Adaptador original por R$ 150 na Andrade Presentes do Shopping Oriental da 25 de Março para poder ter boa autonomia em memória para fotos de alta resolução.

2008. Sony Cyber-shot H50

Em 2008 eu queria uma resolução maior (9MP), um zoom mais potente e configurações manuais na câmera. Optei pela H50, que tira até foto no escuro e com zoom de 15x, pagando R$ 850 na Rua Santa Efigênia. Por ser uma câmera fotográfica digital de dimensões e peso não portáteis, não usei como deveria, mas a tenho até os dias atuais com menos de quinhentas fotos tiradas.

2012. Sony Cyber-shot HX9V

A minha câmera digital atual, última peça fechada na Sandy Presentes do Shopping Oriental, foi adquirida por R$ 800 em fevereiro de 2012. A ideia era poder documentar a reforma e a despedida da minha casa na Av. Vereador José Diniz, 2804, São Paulo/SP, devido a desapropriação da mesma pelo Metrô para a Linha 17 – Monotrilho Ouro. Com 16.2 megapixels, 10x de zoom, lentes Sony Lens G, filmagem Full HD e 3D, controles manuais de exposição, foco e ISO, é a compacta que eu utilizo diariamente. Elogiada até pelo renomado fotógrafo Epitácio Pessoa, atende às minhas necessidades e está do meu lado todos os dias.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Autor Thiago Rodrigo Alves Carneiro

Thiago Rodrigo Alves Carneiro, 36, é paulistano do Campo Belo, sócio-proprietário de A vida é feita de Desconto e professor graduado em Matemática e Estatística no IME-USP.

Mais posts por Thiago Rodrigo Alves Carneiro

Deixe um comentário