Câmara pode aprovar nova forma de cobrança de estacionamentos em São Paulo

Por 20 de outubro de 2013Opinião

Os vereadores paulistanos aprovaram no último dia 22 de maio projeto de lei que padroniza a cobrança de estacionamentos particulares da capital paulista.

A proposta, do vereador Atílio Francisco (PRB), precisa agora passar por uma segunda votação antes de seguir para análise do prefeito Fernando Haddad (PT), que pode vetar ou sancionar a regra. Houve apoio de todas as bancadas.

Pelo projeto, os proprietários de estacionamentos de São Paulo são obrigados a adotar como padrão a cobrança “fatiada” a cada 30 minutos. Dessa forma, não serão permitidos preços diferentes por iguais períodos, como ocorre hoje.

Pela nova regra, se um estacionamento cobrar por 30 minutos o preço de R$ 5, a hora inteira custará exatamente o dobro, R$ 10. Caso o carro fique por três horas, o motorista vai pagar no máximo R$ 30. O motorista ainda terá uma tolerância de até cinco minutos – se ficar 35 minutos, por exemplo, vai pagar os mesmos R$ 5.

Nas redes sociais, surgiram muitos comentários a favor e conta a medida. “Lamentavelmente ficará pior. Os estacionamentos vão cobrar 10 reais por 30 minutos. Uma hora e meia hoje dá 18 reais. Com a nova lei, vai virar 30. Donos de estabelecimentos estão morrendo de rir”, diz José Nello Marques. “Mais um ‘presentão’ dos políticos à população. Espero que fique restrito a São Paulo, ou pelo menos o Haddad vete essa nojeira”, diz outro contrário à medida.

Na minha modesta análise, vejo a situação da seguinte forma:

Eu acho que o pessoal não entendeu o sentido da lei e fica criticando só porque leu valores e já fez projeções na cabeça sem considerar cenários. Vamos lá.
(1) Estacionamento em SP é um roubo, principalmente a primeira hora ou primeira meia hora. Depois que assaltaram no primeiro período, os demais ficam a preços reais.
(2) Se o preço do estacionamento para períodos longos for proibitivo, certamente haverá redução absurda de clientes. Ora, se haverá preço fixo por 30min e o dono quiser otimizar seu faturamento sem perder clientes de longos períodos, não poderá extrapolar o preço do primeiro período de meia-hora sob pena de seus múltiplos serem impagáveis e de perder clientela.
(3) Em shopping, estacionamento cobra sem dó por períodos de 4 horas e nem todo mundo usa as 4 horas. Muitas vezes, você paga pelo que não usa. Se cobrarem um absurdo no primeiro período, a estadia longa/moderada no shopping ficará inviável e o shopping perderá muitos clientes.
Portanto, acredito em uma cobrança mais justa do valor ao padronizar a cobrança a cada 30min.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Autor Thiago Rodrigo Alves Carneiro

Thiago Rodrigo Alves Carneiro, 36, é paulistano do Campo Belo, sócio-proprietário de A vida é feita de Desconto e professor graduado em Matemática e Estatística no IME-USP.

Mais posts por Thiago Rodrigo Alves Carneiro

Deixe um comentário